Contexto

A retomada da indústria da música é um assunto em constante discussão entre especialistas da saúde e entre os profissionais do ramo de entretenimento.

Dado a pandemia do coronavírus (COVID-19), diversos setores de negócios foram afetados diretamente. Entre um dos mais afetados foram as casas de shows e bares que possuem um papel importante na indústria do entretenimento.

Desde já, a sociedade passou a adotar medidas restritivas para conter o avanço do vírus no país, sendo decretado em estabelecimentos o uso obrigatório da máscara e até certos períodos de quarentena total sem poder sair de casa.

Desafios da indústria

Dado as condições, diversos estabelecimentos em todo o Brasil fecharam as portas por não conseguirem atrair mais o público para se manterem.

Estádios que atendiam a 200 mil pessoas passaram a atender um pouco mais de mil no sistema drive-thru.

Essa baixa na indústria afeta cerca de 2 milhões de profissionais registrados no ramo e mais 4 milhões de trabalhadores informais. 

Além disso, a indústria do entretenimento movimenta cerca de 300 bilhões de reais ao ano. Com essa baixa do mercado, isso acaba impactando famílias inteiras que vivem exclusivamente dessa renda, como mostra a reportagem do Fala Brasil logo abaixo.

A retomada da indústria da música

Todavia, com a esperança da vacinação do país, sem dúvidas haverá uma retomada bem forte do setor. O empresário do ramo de gestão de carreiras Pedro Loureiro comenta:

“A expectativa é muito positiva. Eu acredito que quando tiver de 60% a 80% da população vacinada com as duas doses, ou com a dose única, nós vamos começar a enxergar um cenário diferente. Principalmente com eventos públicos, em que o poder público possa incentivar. Porque o mercado não tem dinheiro. O nosso mercado entrou em um colapso financeiro, e principalmente os prestadores de serviços de base.”

Contudo, há sem dúvidas um sentimento de ansiedade para a retomada dos eventos tanto para os empresários quanto para o público. Segundo um estudo realizado em Junho, 64% dos indivíduos entre 18 e 55 anos tem intenção de voltar a frequentar eventos. 

Ademais, podemos esperar dessa retomada uma experiência diferente, seguindo as medidas de higienização e distanciamento social. Tendo por exemplo, ofertas de álcool em gel, testes de detecção e vistoria dos cartões de vacinação.

concluindo

Entretanto, a retomada da indústria da música nesse momento acontecerá de forma gradativa e com eventos-testes, pois não há um consenso da comunidade científica a respeito da segurança acerca dos eventos.

Será necessário ainda cautela e prudência para que possamos revitalizar o mercado de shows e entretenimentos no Brasil. E você? Sente saudade de um show?

Para ficar atualizado em tudo o que acontece no mundo das rádios e da indústria da música siga a Audiency nas redes.

Instagram | Facebook | Linkedin | Youtube | Twitter

Referências:

https://www.nexojornal.com.br/expresso/2021/07/12/Quais-os-planos-para-a-retomada-dos-eventos-no-pa%C3%ADs

https://www.correiodopovo.com.br/arteagenda/retomada-de-shows-%C3%A9-marcada-por-expectativas-e-incertezas-no-brasil-1.680642#:~:text=%22J%C3%A1%20estamos%20vivendo%20uma%20retomada,O%20setor%20seguir%C3%A1%20nessa%20tend%C3%AAncia.

https://www.metropoles.com/colunas/leo-dias/casas-de-show-explicam-medidas-para-retomada-de-eventos-apos-pandemia